quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Só então…

Quando já não precisar saber
só então o saberei.
Enigmas desvendados06-10-2008 007
Mistérios revelados
Fora das prisões do tempo
Além do espaço
Longe de qualquer limite
Nenhum anseio
Nenhum vazio
Nenhum por quê...
Conexão perfeita
Só então, feliz.

Terra à vista!
Eternidade!
Enfim desembarcar!

EmilY Dickinson

Explico:

Este poema foi escrito em momento profundamente filosófico…entretanto…achei-o muito próprio para quando a Senhora Dona Internet me deixa desesperadamente desesperada. Agüentem-me!

06-10-2008 003

2 comentários:

Bel disse...

"conexão perfeita"... realmente é o prenúncio da felicidade!!!
Beijooo

Jucemir disse...

Minha jovem, que história é essa de ansiar pelo retorno ao corpo de Brahma? Pular fora da roda? Reincorporar-se à essência de Xangô?
Internet é uma das faces de Mara. É Samsara.
Brinquemos com esses demônios.
(Não me entenda mal, continuo um ateu chatinho e renitente, tento apenas usar uma linguagem que talvez lhe seja mais próxima.Não sei se consegui.)