domingo, 12 de outubro de 2008

Susto

Passei a manhã inteira
com o mineiro de Itabira.
Preciosa companhia...
Deixei queimar o feijão.
O arroz quase germina
esperando o fogo amigo
que nem foi acionado.

Flores no jardim gemiam
sem água de matar sede.
Vaso na mesa vazio,
olhar de cão desprezado

óculos 001

E eu? Cada vez mais inserida
na mina de ferro e fogo,
no trole desembestado me perdendo em devaneios,
a todo vapor,
sem freios,
viagem predestinada e vivida.

De repente
um rumor inesperado.
A vizinhança assustada
se achegou seguindo o faro da comida incinerada.
Que susto!
Que confusão!
Fui arrancada sem dó
de tão fina companhia.
Tudo saiu do lugar...

Adeus Carlos Drummond de Andrade,
agora eu aqui tão só!
...e sem nada pra almoçar.



Vejam vocês,
Há anos convivo com esta condenação de queimar comidas quando me empenho numa leitura!!!!! Já cheguei a queimar a água onde deveria fazer macarrão... a panela secou e ficou estalando.

AGORA, absurdo dos absurdos,
há poucos dias fui, de novo, despertada pela vizinha do apartamento ao lado que sentiu o cheiro da comidinha queimando.

Pasmem!!!!!! Eu estava absurdamente absorta no computador!!!!!

Nunca pensei que isto iria me acontecer!!!! Na estante os livros se mordiam de ciúme. Agora estou tentando me justificar com eles: "Foi um acidente de percurso...Juro que não vai acontecer de novo! " (Será??????)

4 comentários:

Jucemir disse...

Professora, folgo em vê-la tão alegre.
Curiosidade: para que aquele farto sortimento de óculos? Não precisa de tantos. Talvez fosse o caso de mandar alguns para a prefeitura carioca substituir aqueles da estátua que os imbecis teimam em furtar.
Quanto ao feijão carbonizado, isso é o que acontece quando o poeta se esquece do mundo.

Jucemir

Carlos Mascarenhas disse...

Dinah:

Só um pequeno reparo. Você não estava "absurdamente absorta no computador". Você estava "absurdamente absorta no mundo", que o seu computador, que tenho certeza é um BITWAY, e as TIC"s - Tecnologias da Informação e Comunicação, trazem até a sua casa, pertinho do mar de Itapoan.
Pesquise sôbre a CAMPUS PARTY, pois tenho certeza que iremos juntos participar desta grande festa.

Carlos Mascarenhas

Bel disse...

Uhuuuu!!!
Eu sabia, eu sabia!!!
Você já está "contaminada". Pegou o vírus e agora não tem mais jeito!

Mas sobre a Campus Party... hein?
Vamos passar uma semana numa "rave tecnológica"??? Tenho certeza que vc vai adorar!!!

Veja aqui: www.campusparty.com.br

Beijooooooooo

Rejane disse...

Oi!!
Adorei o blog.
Acho que vai ter uma porção de leitores!
Esta poesia é muito legal, mas acho que deveria ter a data (aproximadamente) das poesias que são postadas. Sei que muitas são atemporais, mas é bom ver a evolução da poeta. E não se preocupe que, com o passar do tempo a convivência com a máquina lhe será mais confortável.

Um beijão,
Rejane.